5 vezes em que você deixou de fazer empréstimo e perdeu dinheiro por isso

5 vezes em que você deixou de fazer empréstimo e perdeu dinheiro por isso

Emprestar tem um preço, mas não emprestar e contratar um crédito mais caro também tem. E costuma ser bem caro.

Tem gente que sente arrepios só de ouvir a palavra empréstimo. E não é pra menos: com o tanto de empréstimos com taxas altíssimas existentes no mercado, não é de se estranhar que algumas pessoas tenham rejeição a essa palavra. Mas nem todo empréstimo é ruim. E isso não é papo de vendedor, não. É um fato! Tanto é assim que há situações nas quais a pessoa opta por não fazer um empréstimo, e acaba recorrendo a uma solução financeira que sai ainda mais caro. E, acredite, é bem mais comum do que se pensa.

Listamos abaixo 5 situações em que contratar um empréstimo com garantia teria saído mais barato:

1. Usar o cheque especial seguidas vezes

O cheque especial pode ser útil caso você precise de um valor rápido, para uso pontual. No entanto, se o pagamento dos juros do limite do banco já entrou na sua lista de despesas mensais, você está pagando uma taxa de juros pelo menos 10 vezes maior do que no Crédito com Garantia de Imóvel.

2. Pagar o mínimo do cartão de crédito

Esse é um grande erro que o consumidor costuma cometer. Pagar o valor mínimo da fatura do cartão de crédito pode até parecer sedutor, mas é uma ilusão: você paga um valor irrisório frente ao montante da dívida e ainda contrata juros altos. MUITO altos.

3. Segurar o investimento em uma ideia que traria retorno

Uma boa ideia não espera um bolso cheio para acontecer. Ela pode surgir a qualquer momento, quem empreende sabe bem disso. Por isso, contratar um crédito para investir no desenvolvimento dessa ideia é, SIM, uma boa saída. Claro que é preciso se cercar de cuidados para que a boa ideia se torne um bom projeto, com retorno financeiro satisfatório. Se a taxa de retorno do investimento for maior do que a taxa de juros do crédito que foi contratado, fazer um empréstimo foi uma sábia decisão.

4. Pagar juros ao parcelar em várias vezes uma compra de alto valor

Imagine que você é dentista e precisa renovar o maquinário do seu consultório. Trata-se de uma compra de alto valor, porém fundamental para a realização do seu trabalho. Você pode aproveitar a suposta facilidade que o seu limite alto no cartão de crédito oferece e parcelar esta compra em 24x com acréscimo de juros. Ou você pode contratar um crédito com taxa menor do que o cartão e pagar tudo à vista, inclusive podendo barganhar um desconto.

5. Contratar o empréstimo errado

Mesmo quem acaba recorrendo ao empréstimo pode fazer uma escolha equivocada se não comparar as alternativas que existem. O empréstimo pessoal não consignado, por exemplo, pode apresentar taxa de juros duas vezes maior do que os juros do Empréstimo com Imóvel em Garantia.

Baixe o infográfico comparativo entre fintech e banco tradicional

Na dúvida, pesquise, compare, simule. E apenas contrate após ter certeza de que encontrou a solução mais adequada para você.