O que é SFI? Como funciona e quais as vantagens?

O que é SFI? Como funciona e quais as vantagens?

Entenda o que é SFI e como ele funciona para solicitar seu financiamento imobiliário sem dúvidas e com mais segurança na operação.

Comprar a casa própria ainda é o sonho de grande parte dos brasileiros. No entanto, um investimento desse montante é inviável para a maioria da população. Assim, é bem provável que boa parte dos compradores escolham um financiamento, pois essa opção permite alongar os prazos de pagamento do imóvel.

Nesse caso, é interessante entender que há dois sistemas de financiamento: o SFI e o SFH, que são bem diferentes entre si.

A escolha do tipo de financiamento depende de fatores como renda, valor do imóvel, capacidade de pagamento do comprador, entre outros.

Neste post, vamos explicar detalhadamente o Sistema Financeiro Imobiliário (SFI) para que você saiba como funciona e quais as principais vantagens desse sistema. Confira!

O que é o SFH?

Antes de chegarmos no SFI, é interessante entender um pouco o que é o SFH e como esse sistema funciona. O Sistema Financeiro de Habitação (SFH) é uma alternativa do Governo Federal, criada a partir da Lei 4.380 (1964). Ele tem como objetivo facilitar a aquisição da casa própria e é voltado principalmente a população de baixa renda.

As regras que regem o SFH foram criadas pelo governo e são supervisionados pelo Banco Central, por isso, é necessário cumprir alguns requisitos para ser candidato a esse tipo de financiamento:

  • O imóvel deve ter obrigatoriamente valor máximo de R$ 950 mil nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e no Distrito Federal e de R$ 800 mil nos demais estados brasileiros; Para 2019, o valor permitido máximo será de até R$1,5milhões para todo Brasil;
  • o valor mensal das parcelas não poderá comprometer mais do que 30% da renda bruta do contratante;
  • o prazo máximo de quitação da dívida é de 35 anos (420 meses);
  • opção oferecida exclusivamente a pessoas físicas;
  • a taxa de juros máxima é de 12% ao ano.

O programa Minha Casa, Minha Vida se enquadra entre os financiamentos do SFH e o FGTS pode ser utilizado para abater o valor das prestações e do saldo devedor (no entanto, para isso é preciso cumprir outra lista de requisitos).

Mas e o SFI? Do que se trata?

Como você pode ver, existem muitos requisitos que devem ser cumpridos para um financiamento se enquadrar no SFH. Visando atender a parcela dos candidatos excluídos dessa opção, surge o Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI), criado em 1997, pela Lei 9.514.

Esse sistema engloba todos os financiamentos que não estão no SFH e oferece opções mais flexíveis e bem mais livres, com várias possibilidades para os compradores de imóveis.

Quem pode financiar pelo SFI?

Basicamente, o SFI atende usuários com necessidades específicas, como aqueles que buscam um financiamento de imóvel mais caro ou com parcelas um pouco mais altas. As principais características desse tipo de financiamento são:

  • não há uma obrigatoriedade de valor máximo do imóvel;
  • o valor concedido de financiamento pode chegar a 90% do valor do imóvel financiado;
  • não há limite de renda comprometida, ou seja, você poderá pagar parcelas mais altas e quitar o financiamento em menos tempo;
  • um ponto muito importante é que essa opção pode ser oferecida tanto a pessoas físicas, como pessoas jurídicas;
  • prazo de quitação máximo de 35 anos (420 meses);
  • não há limites para os juros, que em média variam de 12% a 16% ao ano.

De onde vem o dinheiro do SFI?

Como vimos, No SFH, é possível utilizar quantias acumuladas no FGTS para abater valores das prestações. Já no SFI, os recursos que possibilitam o financiamento de imóveis vêm de investidores do setor imobiliário, como bancos e financeiras.

Quais as vantagens do SFI?

A primeira vista, o SFH parece oferecer opções mais vantajosas para o cliente, uma vez que as taxas de juros costumam ser mais baixas. No entanto, a escolha entre esses dois tipos de financiamento vai depender das características da compra e do planejamento financeiro de cada um.

O SFH demonstra ser mais fechado, deixando de atender uma grande parcela dos usuários. Mas a principal desvantagem desse sistema é que os bancos exigem muitas informações para o cadastro e não costumam financiar mais que 70% do valor total, ou seja, existem vários entraves burocráticos.

O que não acontece com o SFI, que é mais flexível e atende pessoas jurídicas. Além disso, o financiamento pode ser feito também para a compra de um segundo imóvel ou para um imóvel comercial e não há limite no valor do financiamento, nem no preço do imóvel.

Qual é a melhor opção para mim: SFH ou SFI?

É essencial entender que a escolha entre esses dois tipos de financiamento dependerá das características da sua compra e do seu planejamento financeiro.

Toda compra dessa magnitude deve passar por uma boa avaliação de orçamento, bem como das condições de contratação, considerando valores, tempo de quitação e renda familiar. Planejamento é a palavra de ordem!

Procure sempre se informar e avaliar bem as condições de SFH e SFI antes de tomar uma decisão.

Onde financiar? Quais cuidados devo ter?

Comprar uma casa não é uma tarefa simples. No meio desse processo, muitas pessoas que estão pensando em adquirir um imóvel podem ficar sobrecarregadas com a infinidade de opções de financiamento e instituições disponíveis.

Mas calma! Tomando os cuidados necessários, é possível economizar tempo e dinheiro. É possível fazer uma simulação na internet e avaliar, dentre as diversas opções, qual a melhor opção de acordo com o seu bolso, o tempo para quitação da dívida e taxas de juros.

Além disso, desde abril de 2018, com a chancela concedida pelo Banco Central, fintechs – empresas do mercado financeiro que fazem uso das novas tecnologias – já começaram uma revolução no mercado de crédito e oferecem opções muito vantajosas para os clientes. Quer saber mais sobre isso? Confere aqui.

E nunca se esqueça: cuidado com as informações pessoais que você disponibiliza em sites e os domínios que você vai acessar. É muito importante verificar a procedência e se o site possui softwares de proteção e não é um site falso ou uma fraude.

E nunca, em hipótese alguma, pague nenhuma taxa adiantada se alguém te prometer um empréstimo. Não existe coisa como pagar taxa de cartório ou seguro antecipado se você pedir um empréstimo. Se você for vítima de algum estelionatário desse tipo, denuncie. Para acessar uma lista de sites fraudulentos clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.